quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Mudanças nas pericias medicas podem prejudicar ainda mais os trabalhadores.

Não podemos concordar com mudanças, que piorem a vida do trabalhador lesionado, pois a PREVIDÊNCIA SOCIAL, tem o seu papel institucional, não devendo retroceder na busca incessante pelo respeito aos direitos dos trabalhadores. PERICIAS MEDICA, SUPRIMEM DIREITOS DOS TRABALHADORES O INSS mais uma vez mostra sua falta de compromisso com seus objetivos legais e desrespeito com o povo trabalhador. Não bastasse a aplicação do danoso fator previdenciário, a sonegação do direito à aposentadoria especial, os favorecimentos às empresas, o INSS tira de sua fábrica de maldades a denominada: “nova perícia médica”. Que de nova não tem nada, sua única novidade é um computador fazendo perícia médica, porque o resto são propostas que já foram rejeitadas, inclusive na justiça, que voltam com outra roupagem. Em 2005 o INSS implantou o tempo estimado para cessação do benefício (Copes), o que permitiu que o perito determinasse a alta sem examinar o segurado. Por pressão dos sindicatos e determinação judicial o instituto foi obrigado a introduzir “a perícia para prorrogação do benefício”, pois a intenção era não permitir a continuidade do auxílio doença, portanto conceder a alta sem a realização do exame médico, mostrando um descompromisso total com a saúde do segurado. A proposta atual é um pouco pior e mais enganosa. Está sendo divulgado pelo INSS que: “atestados médico de até 60 dias serão pagos sem a necessidade de realização de perícia médica”. Não é verdade! Eles já apresentaram uma tabela onde colocam limite de dias para cada doença. Por exemplo: para a hérnia de disco – doença que além da dor tira a força dos braços ou das pernas – será concedido 30 dias para recuperação. O tratamento desse tipo de hérnia requer medicação, fisioterapia e, em alguns casos, cirurgia. Na maioria dos municípios no prazo de 30 dias não se obtém atendimento médico especializado e o INSS já o considerará o segurado em condições de passar o dia em pé, carregar pesos, levantar objetos com as mãos, entre outras tarefas, que necessitem dos braços e das pernas. Mas não fica aí, essa mesma tabela indica 15 dias para a Síndrome do Túnel do Carpo, 7 dias para Cólera, 30 dias para Angina, numa infinidade de prazos aquém dos necessários para o reestabelecimento da condição de saúde. Se brincar de Deus – ao definir um período para alguém ficar saudável – não bastasse, a maldade é completada com regras que retirarão outros direitos, senão vejamos: - apenas concederá o benefício aos que tiverem mais de 24 meses de contribuição. Atualmente esse prazo é de 12 meses para doenças comuns e ausência de carência quando for acidente do trabalho; - para fazer novo pedido de benefício pelo sistema eletrônico deverá aguardar 180 dias, ou remarcar pelo sistema antigo, portanto termina com o pedido de prorrogação e de reconsideração. - não poderá ser utilizado para casos de acidente do trabalho e não será aplicado o nexo técnico epidemiológico, retirando do trabalhador o direito da estabilidade de 1 ano ao retornar ao trabalho e a obrigação da empresa de depositar o FGTS (Fundo de Garantia) enquanto o empregado estiver em benefício; e, coroando essa proposta lesiva aos interesse do país, não aplicará as multas legais às empresas que provocam doenças e acidentes do trabalho. Pode parecer que a conta será paga apenas pelos adoecidos e acidentados. Mas não é assim que as coisas acontecem. Realmente, os primeiros a sentir as consequências serão os trabalhadores e suas familiares, pois terão que trabalhar doentes, o que aumentará o risco de acidentes, de cronificação das patologias e de morte prematura. Mas as empresa também sofrerão consequências, serão nas suas dependências que ocorrerão os acidentes, os agravamentos das lesões e mortes (você já imaginou um piloto de avião com doença psiquiátrica sendo considerado apto para trabalhar sem perícia médica?). O INSS, responderá não apenas pelos dias que deixou de conceder o auxílio doença, mas também responderá pelos agravamentos e mortes provocadas por altas médicas precipitadas e sem o devido apuro técnico. E, finalmente, a sociedade pagará o preço mais alto. Recairão sobre todos nós os custos da redução da produtividade e falências de empresas, os custos de todas as ações judiciais que serão movidas contra o INSS e o descrédito da população com relação à Seguridade Social, se constituindo em um apelo a privatização. Lembramos a todos que o objetivo da previdência social é emprestar equilíbrio à vida em sociedade e não ser lucrativa para poucos. Rogério A. N. Dornelles Médico do Trabalho http://www.aeroviarios.org.br/saude-e-seguranca/2953-pericias-medicas.html http://www.sitracombg.com.br/noticias.php?noticia=110 Porto Alegre, 13 de agosto de 2012.

Um comentário:

SINTET SINDICATO DE TELEMARKETING disse...

Nós do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Telemarketing e Terceirizadas de Tele atendimento do Estado da Bahia, ficamos surpresos e preocupados com o que foi esclarecido pelo medico do trabalho Rogerio A. N. Dornelles, pois haja vista que estamos observando uma total descaracterização dos direitos individuais dos trabalhadores brasileiros, por parte deste governo.

Os trabalhadores têm sofrido com a orientação de negativa dos direitos individuais, coletivos e difusos, junto ao órgão de Previdência Social do país, que tem montado um aparato institucional para dificultar (aposentadoria, benefícios B-91, B-31, revisões, recursos, pedidos de reconsiderações, pedidos de prorrogações) e ate mesmo negativa dos direitos constitucionais com a desculpa de zerar o rombo previdenciário, a mais de 7 anos, desde o surgimento do famigerado COPES e do Fator Previdenciário o trabalhador vem pagando mais esta conta.

Laudos, relatórios e exames médicos perdem todo e qualquer valor moral e ético diante desta decisão, pois ferem os critérios da Organização Mundial de Saúde, Organização Internacional do Trabalho e a própria organização medica através do conselho da categoria CREMEB, diante da decisão estrutural pericial que esta montada, para atender e estabelecer critérios padronizastes dos casos que são peculiares a cada individuo, esta transformando as pericias medicas em um problema social e judicial diante da tamanha ilegalidade dos atos praticados.

Porque a grande procura pelo telemarketing

Porque a grande procura pelo telemarketing
Que politica vamos desnvolver para os nossos companheiros

Sindicalista defende proposta dos trabalhadores

Sindicalista defende proposta dos trabalhadores
Sindicato de Telemarketing com a CUT-Ba

1º Encontro Nacional de Trabalhadores em Telemarketing e Tele-atendimento

1º Encontro Nacional de Trabalhadores em Telemarketing e Tele-atendimento
Unindo Forças para a Regulamentação da Profissão Já!!!!!!

Justiça é um direito de todos

Justiça é um direito de todos
SINTET participando da conversa com a sociedade civil

ATA DE AUDIENCIA 06/11/2009

ATA DE AUDIENCIA 06/11/2009
PATAC N 03/08 TNL CONTAX S/A

AUDIÊNCIA NO MINSTERIO PUBLICO DO TRABALHO

AUDIÊNCIA NO MINSTERIO PUBLICO DO TRABALHO
OI, MM TELECOM E SINTET

Caminhada para o BOMFIM

Caminhada para o BOMFIM
Senhor do Bomfim 11/01/2007

AS INSTITUIÇÕES PERDERÃO SUA FUNÇÃO

Nas favelas, no senado,
Sujeira pra todo lado,
Ninguém respeita a constituição,
Mas todos acreditam no futuro da nação.
Que país é esse?
Que país é esse?
Que país é esse?
No Amazonas, no Araguaia iá, iá,
Na Baixada Fluminense, Mato Grosso,
nas Gerais e no Nordeste tudo em paz,
Na morte eu descanso, mas o Sangue anda solto,
Manchando os papéis, documentos fiéis,
Ao descanso do patrão.
Que país é esse?
Que país é esse?
Que país é esse?
Que país é esse?
Terceiro mundo, se for Piada no exterior
Mas o Brasil vai ficar rico
Vamos faturar um milhão
Quando vendermos todas as almas
Dos nossos índios num leilão.
Que país é esse?
Que país é esse?
Que país é esse?

www.mte.gov.br

http://www2.mte.gov.br/sistemas/CNES/usogeral/Resumo.asp?NRRequerimento=SC01940

28 DE ABRIL DIA INTERNACIONAL EM MEMÓRIA ÀS VÍTIMAS DE ACIDENTES E DOENÇAS DO TRABALHO


O Ministério Público do Trabalho (MPT), vários Sindicatos, Centrais e organismos de defesa dor trabalhador estarão reunindo-se em Memória das Vítimas de Doenças e Acidentes de Trabalho.

Vale dizer que hoje em dia já se compreende doenças do trabalho como sendo todos aqueles que reduzem a capacidade Laboral mesmo sem matar, pois os quadros de distúrbios (mentais), dores (musculares, óssea) podem ser caracterizados e mensurados, bem como diagnosticados com maior exatidão. Dados do Anuário da Previdência Social indicam que em 2007 foram computados 14.224 acidentes de trabalho, tendo no mesmo período 80 óbitos e 243 pessoas com incapacidade permanente, vale ressaltar que não concordamos com os índices oficiais, pois não traduz a realidade da nossa categoria de operadores de telemarketing, pois sindicatos análogos e empresas tentam esconder debaixo do tapete, já que não é interessante alarmar a sociedade civil aos inúmeros casos de lesionados em função da atividade laboral, por isso estamos brigando por sindicatos específicos que realmente entendam das funções desempenhadas pelo trabalhador em comprimento de sua jornada de trabalho e não compactuem com a crescente demanda de trabalhadores junto INSS com auxilio acidentário e auxilio doença.

Amanhã dia 28 de abril, alguns de nos diretores, SINTET - SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EMPRESAS DE TELEMARKETING E TERCEIRIZADAS DE TELECOMUNICAÇÕES DO ESTADO DA BAHIA estarão presentes em Feira de Santana para participar do evento em memória das vitimas de acidente de trabalho, buscando assim um melhor ambiente de trabalho, em busca da melhor qualidade de vida para quem transforma seu labor (ação) e bem em (serviço).

Demissão em massa na OI PAGO Bahia

Os funcionários da TNL CONTAX foram surpreendidos quando no dia 28 de março com uma demissão em massa dos trabalhadores do setor, foram mais de 80 companheiros desligados e com uma carta de demissão do dia 1 de abril, pena para alguns que não foi mentira.

Sabemos que o negocio é da CONTAX, mais por que a empresa não demite quem deseja sair os insatisfeitos e demite quem precisa daquela atividade para se manter.

Estamos aqui colocando a publico nosso protesto, por não concordar com a forma que estão sendo feitas as demissões.

SINTET NA LUTA PELO TRABALHADOR DE TELEMARKETING!!!!!!

A visão do telemarketing no país.

Loading...

Audiência Publica

Amanhã na Assembléia Legislativa da Bahia, através da comissão de direitos humanos, tem a honra de convidá-lo (a) para a Audiência Publica cujo objetivo é discutir “as Condições de Trabalho dos Operadores em Telemarketing / Call Center”, a ser realizada no dia 18 de novembro de 2009, às 9h, na sala Herculano Meneses.


CALL CENTER

CALL CENTER
Ambiente favoravel a LER/DORT por que?

SINDICATO ESPECIFICO = IDENTIDADE PROPRIA

VAMOS FILOSOFAR?
PERGUNTEM QUAL O PORQUE DA VIDA?


EXISTEM VARIOS PORQUES?


PORQUÊ? AS COMPANHEIRAS EMPREGADAS DOMESTICAS TEM O SEU SINDICATO, OS CORDEIROS TEM O SEU SINDICATO, OS TRABALHADORES EM LIMPEZA PUBLICA TAMBÉM TEM O SEU SINDICATO, OS MEDICOS TEM O SEU SINDICATO, TELEFONICOS TAMBÉM TEM O SEU, ADVOGADOS TAMBÉM TEM O SEU, MUSICOS TAMBEM TEM O SEU, CORREIOS E TELEGRAFOS TAMBÉM TEM O SEU, PETROLEIROS E QUIMICOS TAMBÉM TEM O SEU, OS RADIALISTAS TAMBÉM TEM O SEU SINDICATO, RODOVIARIOS TAMBÉM TEM O SEU, ELETRICITARIOS TAMBÉM TEM O SEU, PREVIDENCIARIOS TAMBÉM TEM O SEU, MOTO TAXISTAS TAMBÉM TEM O SEU, POLICIA CIVIL TAMBÉM TEM O SEU, SAUDE TAMBÉM TEM O SEU, AGUA E ESGOTO TAMBÉM TEM O SEU, BANCARIOS TAMBÉM TEM O SEU, METALURGICOS TAMBÉM TEM SEU, CONSTRUÇÃO CIVIL TAMBÉM TEM O SEU!!!


TELEMARKETING E TERCEIRIZADAS TAMBÉM TEM O SEU!!!!!!!! OU SEJA, ESTAMOS TENTANDO FAZER VALER O DIREITO CONSTITUCIONAL ART 8, LIVRE ASSOCIAÇÃO, POR ISSO FUNDAMOS, ELEGEMOS E TOMAMOS POSSE DA PRIMEIRA ENTIDADE DE TELEMARKETING NORTE/NORDESTE RESPEITANDO A CONSTITUIÇÃO DE 1988, MAIS O MINISTERIO PUBLICO DO TRABALHO E EMPREGO - MTE-DF, AINDA NÃO PUBLICOU A NOSSA CARTA SINDICAL, MERO TRAMITE BUROCRATICO, POIS AS CENTRAIS E MUITOS SINDICATOS ESTIVERAM OU AINDA ESTÃO SEM O MESMO DOCUMENTO, OU SEJA, NA MESMA SITUAÇÃO QUE A NOSSA DURANTE DECADAS, POIS O NOSSO INTUITO É DEFENDER INTRANSIGENTEMENTE OS INTERESSES DA CATEGORIA.

A QUEM INTERESSA DEIXAR A CATEGORIA SEM IDENTIDADE PRÓPRIA? A QUEM?
SENDO ASSISTIDA POR DIVERSOS SINDICATOS ANÁLOGOS? OU SEJA, SINDICATOS CARTORIAIS,
POIS SÓ SERVEM PARA HOMOLOGAR AS DECISÕES DAS EMPRESAS DE TELEMARKETING E TERCEIRIZADAS.

MAIS, ATE HOJE A NOSSA CARTA SINDICAL NÃO SAIU? QUAL O PORQUÊ?

MESMO ASSIM VOCÊS PODEM CONTAR CONOSCO,

POR QUE VOCES AGORA TÊM UM SINDICATO ESPECIFICO!!! QUE CONHECE E VEM DESCUTINDO EM TODAS AS INSTÂNCIAS AS POLITICAS DE SAÚDE PARA O TRABALHADOR TANTO DO MUNICIPIO QUANTO DE ESTADO, VEM TAMBÉM ATUANDO COM NOSSOS ADVOGADOS EM DEFESA DOS INTERESSES DA CATEGORIA, APESAR DE SER AINDA DE FORMA MODESTO, POR QUÊ NÃO TEMOS A CARTA.


SINTET - SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EMPRESAS DE TELEMARKETING E TERCEIRIZADAS DE TELECOMUICAÇÕES DO ESTADO DA BAHIA.

BLOG: http://sintetsindicato.blogspot.com/

E-mail: sintetsindicato@gmail.com


FILIE-SE E JUNTE-SE A NÓS,

POIS JUNTOS FAREMOS A DIFERENÇA


E O NOSSO GRITO IRÁ ECOAR PELOS QUATRO CANTOS!!

FAÇA JÁ A SUA DOAÇÃO.

POIS AS EMPRESA NÃO RECONHECEM

O NOSSO DIREITO A LIVRE ASSOCIAÇÃO

E DESEJAM MANTER A ESTRUTURA COMO ESTÁ.

BANCO BRADESCO

AGÊNCIA: 3266-2

CONTA: 0055428-6

MPT firma compromisso com Contax e beneficia trabalhadores de todo o país

Cerca de 75 mil empregados da TNL Contax S.A. serão beneficiados pelo compromisso que a empresa assumiu com o Ministério Público do Trabalho, na última sexta (4/11). Após quatro audiências, a prestadora de serviço de contact center, uma das maiores do país, firmou novo termo de ajustamento de conduta (TAC) com o MPT, assegurando assistência médica completa a todos os empregados em atividade no território nacional, acometidos de doenças ocupacionais. O processo foi conduzido em parceria com os profissionais do Cesat - Centro Estadual de Referência em Saúde do Trabalhador e da Fundacentro/Centro Regional da Bahia. Inspeção conjunta realizada no dia 23 de setembro havia comprovado a continuidade de procedimentos irregulares na unidade operacional do Campo da Pólvora, em Salvador, apontando descumprimento do TAC firmado com o MPT em julho de 2007, além de situações de assédio moral com trabalhadores que retornaram do INSS. Capitaneado pelo procurador do MPT Luís Antônio Barbosa da Silva, o TAC incluiu mais duas cláusulas de abrangência nacional. Uma referente aos trabalhadores ainda ativos que tenham retornado do benefício previdenciário relacionado ao trabalho após julho de 2007. Para esses, a empresa aplicará um programa de reabilitação com vistas à realocação, preferencialmente na mesma posição, ou em outra função compatível com suas qualificações. A terceira obrigação válida para empregados no território nacional indica que, independentemente da aplicação do programa de reabilitação, se houver restrição determinada pelo INSS para o exercício da função anterior, e não havendo outra função que o empregado possa desempenhar, ele será colocado em licença remunerada. Ainda entre as medidas para proteção dos que já manifestaram doenças osteomusculares relacionadas ao trabalho, o TAC traz obrigações válidas para os empregados da Contax lotados na Bahia, cerca de 8 mil trabalhadores. Entre elas, isenção total na co-participação no plano de saúde, quando a causa do afastamento tiver relação com a atividade na empresa, assim como isenção total do débito que mantinham com o plano de saúde. A isenção ocorrerá sem restrição ou limite de atendimento, consultas, exames e fisioterapia. Ainda, uma cláusula de responsabilidade social que garante assistência médica gratuita aos ex-empregados, por 12 meses, se apresentarem diagnóstico de doença ocupacional após o desligamento na empresa. O ato de não atribuir tarefas ao empregado em retorno do afastamento previdenciário, mantendo-o em contínuo estado de ociosidade foi qualificado como assédio moral no termo assinado pela Contax. E a importância de cumprir as recomendações do INSS, garantindo o retorno à atividade em um ambiente que não agrave as lesões do trabalhador, além da restituição dos valores indevidamente pagos (até 20/12/2009), relativos a plano de saúde, aos trabalhadores que retornaram do INSS a partir de janeiro deste ano também constam no TAC. Em caso de descumprimento de quaisquer das obrigações, a Contax pagará multa de R$ 25 mil, por cada cláusula descumprida. Os valores serão revertidos ao FAT – Fundo de Amparo ao Trabalhador.